Mapa do site

Inicial | Informações > Eventos > 91º Encontro no CEMA - Equipe do Grupo Pablo do CEMA

91º Encontro no CEMA

Equipe do Grupo Pablo do CEMA

Tema: Quem se ama não tem vícios

Dia 18 de outubro de 2009

No dia 18 de outubro de 2009, o Grupo Pablo realizou um Encontro aberto a todos os trabalhadores e frequentadores do CEMA para falar sobre o trabalho, que vem sendo realizado há 3 anos de acolhimento e orientação aos dependentes - químicos ou não - e aos co-dependentes (familiares e pessoas do círculo de amizades).

Os objetivos do Encontro foram definidos como:

  • Desfazer preconceitos a respeito dos vícios;
  • Apresentar a importância e a influência de religiosidade para a questão e o tratamento das dependências;
  • Demonstrar a importância do Evangelho na prevenção do uso e abuso das drogas.

 

O primeiro momento foi aberto com a apresentação de um trecho do filme "Vinte e oito dias", onde a personagem principal, interpretada pela atriz Sandra Bullock, dependente do álcool, estraga a festa de casamento de sua irmã, constrangendo a todos, ao cometer uma série de bobagens.

A pergunta colocada para os encontristas foi: qual é a raiz de todos os vícios?

Joanna de Ângelis, no livro "Luz Viva", esclarece que "a fraqueza moral da vítima, a ausência de fé religiosa e de comportamento cristão, respondem, pela desabalada correria dos que se entregam aos tóxicos".

O psiquiatra Vicktor Frankl, em seu livro "Em busca do sentido", ressalta que a espiritualidade empobrecida pode levar ao vazio existencial e que, desse vazio, resulta a fuga para o alcoolismo, para as drogas, o sexo e a comida.

No segundo momento, foi apresentado o efeito que os dependentes causam a seus familiares, chamados de codependentes, uma vez que também são envolvidos no problema.

Os codependentes são reacionários. Ao invés de "agir", eles "reagem" aos problemas, às dores, à vida e ao comportamento do outro. Reagem a seus próprios problemas, às suas dores e ao seu comportamento.

Um dos efeitos mais nocivos dessa codependência passa a ser, então, a "despersonificação", ou seja, a perda da própria identidade. Estes efeitos são de ordem emocional e perturbam o funcionamento do corpo, causando, por exemplo, crises de ansiedade (síndrome do pânico), altos e baixos no humor (depressão e euforia) e autoestima prejudicada.

Para falar da vivência dessa situação de codependência, uma pessoa convidada pelo Grupo Pablo expôs a sua história. Mostrou que, somente quando passou a mudar o seu olhar para um filho dependente, sendo um "referencial diferente", ao invés de tentar resolver por si só o problema do outro, é que conseguiu aumentar sua autoestima, sabendo que cada um é um ser individual e que faz suas próprias escolhas.

Ter compaixão, amar o próximo como a si mesmo, ajudar o outro sem se anular, entender que cada um está no seu nível evolutivo, é uma maneira de praticar a máxima de Jesus que diz: "O amor cobre uma multidão de pecados".

Imagem anterior encontro_91_01.jpg Próxima imagem