Mapa do site

Inicial | Informações > Eventos > 86º Encontro no CEMA - Francisco do Espírito Santo Neto

Encontro com Francisco do Espírito Santo Neto

Tema: Lucidez

Imagem anterior encontro_francisco_05042009_foto01.jpg Próxima imagem

O CEMA convidou Francisco do Espírito Santo Neto para apresentar um Encontro sobre o seu último lançamento, o livro Lucidez, psicografado pelo Espírito Hammed.

Durante a manhã do dia 5 de abril, Francisco - ou Quico, como gosta de ser chamado - fez um resumo das reflexões contidas no livro, falando sobre a lucidez que todos devem ter no momento de fazerem suas preces, com a consciência do que estão pedindo.

Utilizando uma belíssima apresentação com data show, Quico ressaltou alguns pontos importantes, que destacamos a seguir.

No primeiro momento, Quico abordou os problemas da sociedade ocidental, que vive sempre de maneira estressada, com a mente confusa, devido às inúmeras preocupações do dia-a-dia, ao contrário da civilização oriental, que tem o hábito da meditação e da concentração.

Por conta das inúmeras preocupações que carregamos, nossa mente está sempre confusa e cheia de "barulhos" que nos impedem de ver os fatos tais quais eles são.

Assim, ficamos perdidos no passado (angústia) ou arrebatados pelo futuro (ansiedade), sem vivermos o presente, sem nos concentrarmos no que estamos fazendo no momento.

Enquanto vivermos de forma mecânica, irrefletida e sem intervenção consciente da lucidez e do discernimento, ficaremos privados de possuir uma mente tranquila e um coração pacificado.

No segundo momento, Quico trouxe algumas dicas para aprendermos a orar de maneira mais consciente.

Quando orarmos, devemos ficar em silêncio. Também é preciso estabelecer um tempo para nós mesmos, todo dia, e orarmos com firmeza e determinação, tendo em mente os benefícios que queremos alcançar: a saúde, a possibilidade de uma vida melhor...

Orar é ficar presente, é "ver" o que passa na cabeça e deixar passar sem congelar a imagem; imagens congeladas causam turbulência na mente.

É indicado orar sempre no mesmo lugar, no mesmo horário, pois dessa maneira estaremos impregnando o lugar com a nossa essência e tornando-o mais apropriado para as nossas reflexões.

A oração ideal não é aquela mecanizada, criada por outros, repetida; mas aquela que é só nossa, com as nossas palavras, no nosso momento...

Ele ressaltou também que precisamos buscar os valores universais: a religiosidade, o amor, a caridade, a humildade, a compaixão e a liberdade. E que a Casa Espírita é o melhor local para exercitar a nossa transformação e para alcançarmos esses valores que nos levarão inevitavelmente a adquirir e a manter a nossa lucidez.